10 perguntas fundamentais para fazer ao visitar um imóvel

Na hora de alugar imóvel alguns detalhes não podem passar despercebidos e há informações que não estão aparentes, nem mesmo ao realizar a vistoria. Antes de assinar o contrato, não esqueça de fazer as perguntas que são essenciais para você fechar ou não o negócio.

Quer saber quais questionamentos não podem faltar? Reunimos aqui as dúvidas que você precisa ter sanadas durante o processo de locação de imóvel e visitar o imóvel

A documentação está em ordem?

Essa é uma das mais importantes. Para evitar qualquer contratempo futuro, pergunte e, se possível, faça você mesmo as pesquisas sobre a documentação do imóvel. Verifique se o imóvel está registrado em cartório, se tem escritura e se não está relacionado a nenhum processo judicial, como inventário ou outra situação que possa gerar dor de cabeça.

Os pagamentos estão em dia?

Essa é outra questão fundamental, especialmente, para o seu bolso. Questione e, se preferir, solicite os comprovantes de pagamento dos impostos como IPTU e das demais taxas como luz e condomínio.
No caso de locação por meio de imobiliária, é a própria empresa que se responsabiliza por fazer essa verificação, o que torna o processo mais seguro e tranquilo para os inquilinos. Mas, ao alugar diretamente com o proprietário, fique atento a estes detalhes para não ter que arcar com contas que não são suas.

Saiba como funciona a locação

Ao se interessar por um imóvel conheça as condições que são exigidas para a negociação dar certo. Quando a locação é intermediada por imobiliária, verifique os critérios, como documentos obrigatórios, e quais as garantias locatícias disponibilizadas. Entre as modalidades de garantias, por exemplo, estão fiador, seguro fiança, análise de crédito.

É esta etapa que pega muita gente de surpresa. Algumas empresas ainda exigem fiador, o que pode complicar a transação, já que envolver outras pessoas no processo, muitas vezes, é constrangedor e mais complexo.

No entanto, atualmente cada vez mais imobiliárias disponibilizam e recomendam a utilização de outras garantias como o seguro fiança e a análise de crédito, modalidades que facilitam a vida de locadores e locatários.

Como será o reajuste?

Ao visitar um imóvel, na maioria das vezes, o interessado já sabe o preço pedido pelo aluguel. No entanto, é preciso lembrar que, no aniversário de um ano do contrato, o valor será reajustado, o que está estabelecido na Lei do Inquilinato.

Você, em comum acordo com o proprietário e com a imobiliária, se tiver, deve definir qual índice norteará o reajuste. No Brasil, historicamente, o principal indicador usado para o aumento do valor de aluguéis é o IGP-M (Índice Geral de Preços).

Mas o IGP-M vem perdendo a preferência. Devido a uma série de altas seguidas e, consequentemente, de reajustes abusivos nos contratos de aluguel, as imobiliárias estão adotando outros indicadores como o IPCA.

Se você quiser saber mais sobre cada índice leia o nosso artigo que trata especificamente sobre o tema.

Quais as multas previstas no contrato?

Ainda pensando no orçamento, questione sobre as multas previstas no contrato. Verifique com cuidado todas as penalidades definidas tanto em casos de danos como para rescisão do contrato. Se possível, antes de assinar, consulte um advogado para conferir se tudo o que está descrito realmente está de acordo com o que prevê a legislação e se não há nenhuma cláusula abusiva.

De quem é a responsabilidade em casos de danos?

Essa é uma das principais causas de divergências entre locadores e inquilinos. Mais do que buscar as informações relativas aos danos e reparos, é necessário estabelecer procedimentos para cada caso.

A Lei do Inquilinato, que rege a relação entre proprietários e locatários, não é totalmente abrangente sobre a manutenção do imóvel. O ideal é definir as regras junto com o proprietário e registrar no contrato. Só assim, em eventuais danos ou problemas, cada parte já sabe a sua responsabilidade. Cuidado que deve ser redobrado quando o imóvel for mobiliado.

Tem garagem?

Para quem tem carro essa pergunta é obrigatória. Mais do que saber se o imóvel tem vaga de garagem, cheque se há mais de um lugar por propriedade e como é a estrutura, se coberta ou não, se são rotativas ou de uso exclusivo.

Aproveitando, pergunte sobre as vagas para visitantes em condomínios. Quantas estão disponíveis e como funciona a utilização das mesmas.

Idade do prédio e situação do imóvel?

Ao perceber que o imóvel não é novo, questione sobre o tempo em que o prédio foi construído. Descubra ainda se a casa ou apartamento precisou de reformas, a frequência da manutenção, se apresenta algum problema recorrente e a quantidade de moradores que já passaram pelo imóvel.

Para ter certeza que as informações serão seguras não conte somente com o proprietário. Converse com alguém do condomínio como o zelador, por exemplo, e colha as informações necessárias para saber se vale a pena fechar negócio.

Aceita pets?

Outra pergunta básica para quem tem animais de estimação é se o condomínio aceita pets. Nos últimos tempos é cada vez menor o número de residenciais que não permite animais e até mesmo há decisões judiciais garantindo o direito dos proprietários a terem seus bichinhos.

Mas para não ter incômodos não custa verificar essa informação junto ao proprietário e à imobiliária. Tente ter acesso também às regras do condomínio com relação à presença de pets nos imóveis e nas áreas comuns.

E o sol?

A iluminação natural não faz bem só ao bolso, já que permite economizar energia elétrica, mas é sinônimo de bem-estar. Imóvel bem iluminado e arejado faz toda diferença no dia a dia e torna a casa mais agradável e confortável.

Verifique a posição do imóvel em relação ao sol e se o local recebe luz natural. Apartamentos que têm pouca incidência desta iluminação podem ter problemas de umidade, além de outras complicações cotidianas como a roupa que não seca e lâmpadas acesas por mais tempo, até mesmo durante o dia.

Com estas informações você poderá fechar negócio com mais tranquilidade. Para estar totalmente seguro durante o processo de locação, conte com a ajuda de quem é especialista na área. Na Terraz Aluguel Digital é só entrar no site terraz.com.br, escolher o seu imóvel ideal e se mudar sem nenhuma dúvida.