Certamente uma das promessas de ano novo da maioria das pessoas é a de controlar melhor os gastos. Ter organização financeira não é apenas uma mudança, mas algo que deve ser encarado como um hábito. E nada melhor do que uma virada de ciclo, como a chegada de um ano novo, para inspirar as pessoas a ter uma vida financeira mais saudável e planejada.

Quem quer realmente ter uma relação mais harmoniosa com o dinheiro não precisa esperar uma hora específica para começar. Toda hora é hora e para isso há diversos recursos que podem ser fundamentais.

Quer saber como? Então siga as nossas dicas e comece agora mesmo a ter sua vida realmente organizada e bem livre de imprevistos e apertos.

Tenha controle

A expressão “não dê o passo maior do que a perna” é uma das mais indicadas nesse aspecto. Muita gente erra ao sair comprando sem controle. É o famoso ganhar X e gastar Y. A equação nunca vai fechar se você viver uma realidade fora dos seus limites. Cada pessoa sabe quais são seus rendimentos. Portanto, tem pleno conhecimento do quanto pode gastar e até que ponto podem ir as despesas mensais.

Ultrapassar esse montante pode inclusive ser considerado como irresponsabilidade, já que os gastos além dos rendimentos vão gerar dívidas que, muitas vezes, podem se tornar uma verdadeira bola de neve.

Isso é muito comum com cartões de crédito. As pessoas vão gastando, comprando, inserindo mais e mais aquisições e esquecem que logo a conta chega. E não vem sozinha. São acrescidos juros e multas quando o pagamento atrasa. E assim a fatura só aumenta e a dívida também. Portanto, seja à vista ou parcelado, o importante é estar sempre com os pés no chão.

Organize-se

Você sabe quanto recebe por mês, certo? E conhece muito bem também as despesas fixas de todos os meses com aluguel, luz, água, telefone, entre outros. Dessa forma, você tem ciência do que sobra entre recebimentos e gastos. Uma das formas mais simples de manter o controle é anotar tudo.

Anote não apenas os gastos mensais, mas também os que surgem no dia a dia. A compra no supermercado, na farmácia, aquela despesa no salão de beleza ou na barbearia, os gastos com deslocamento, gasolina, os possíveis impostos como IPVA e IPTU e demais aquisições que você venha a ter. Esse controle te ajuda a saber quanto ainda você pode gastar e a não ultrapassar os limites.

Apesar de extremamente útil, se você não consegue ter muito controle sobre sua situação financeira, opte por não ter cartão de crédito e escolha pagar as despesas à vista ou no débito. Assim você gasta o que tem e sabe a hora de parar. Caso não viva sem o cartão de crédito, peça com um limite não muito alto. Assim, mesmo que você extrapole as finanças, será mais fácil quitar a fatura.

Tenha prioridades também na hora de fazer gastos. Nunca escolha comprar algum item que você quer muito ao invés de pagar o aluguel, por exemplo. Ou a fugir do orçamento e deixar em aberto uma conta como a de luz. Sempre que receber o salário pague as despesas fixas. 

Com controle, planejamento, bom senso e organização, além de fugir do vermelho você pode assumir o controle da sua situação financeira e ter uma vida muito mais tranquila. E alguns recursos estão à sua disposição para auxiliar nessa missão.

Aplicativos de controle financeiro

Se você não tem o hábito de anotar o que ganha e o que gasta, aplicativos podem ser uma boa solução para criar esse costume. Ao baixar no celular ou tablet, é possível ter na palma da mão o seu controle financeiro. Um dos aplicativos mais conhecidos é o Mobilis, onde é possível registrar, analisar e controlar todas as suas despesas.

Outro recurso é o CNN Brasil Business que disponibiliza uma planilha de finanças. O diferencial desta ferramenta é que o usuário pode ter um planejamento a longo prazo, visualizando os gastos previstos do ano e os específicos de cada mês. Além disso, o CNN Brasil Business identifica e indica quais áreas estão consumindo mais dinheiro e, portanto, acendem o alerta sobre possíveis cortes.

Os quatro aplicativos de controle financeiro mais utilizados e recomendados no Brasil atualmente são Minhas Economias, Organizze, Guia Bolso e Money Lover. No entanto, se a pessoa não conseguir se adaptar com estas tecnologias pode optar pela tradicional planilha no Excel ou mesmo pela agenda. Independente do recurso escolhido, o fundamental é ter uma forma de acompanhar todos os gastos. Afinal, cuidar de cada centavo não é sinônimo de que a pessoa é pão dura, mas sim de que ela é organizada e responsável.

Opte por quitar as dívidas

Se você vem arrastando alguma dívida antiga e não consegue quitá-la, mude seus hábitos. Priorize ir guardando mês a mês, nem que seja o mínimo possível, para conseguir sanar o débito. Se for possível, negocie e solicite um prazo maior para o pagamento para evitar o acréscimo de juros e multas. 

Se acumular mais de um pagamento em aberto opte por quitar primeiro aqueles que geram juros mais altos como, por exemplo, o cheque especial e o cartão de crédito. 

De toda forma, não se desespere, mas seja consciente. Corte gastos e não faça novas dívidas. Evite novas aquisições e despesas com materiais supérfluos. Se precisar se aperte um pouco, fique mais em casa, adote hábitos mais simples e baratos até a situação se normalizar. Sair do vermelho é possível, mas requer organização, conscientização e um pouquinho de sacrifício.

Analise seus gastos

Se é comum todo fim de mês você ficar no vermelho, é hora de parar e analisar o que você está fazendo errado. Você já sabe que é necessário registrar os gastos, mas mais do que isso, é fundamental analisar cada despesa. E se você está sempre apertado é preciso verificar o que é importante e o que pode ser cortado ou remanejado.

Por exemplo, se você tem contrato com operadoras de celular e sua conta está sempre nas alturas, mude para um pré-pago e evite o susto a cada nova fatura. O mesmo com as companhias de televisão paga. Opte por um plano mais econômico e garanta um dinheiro a mais sobrando no fim do mês.

Está gastando muito com energia elétrica? Adote novos hábitos que, aliás, vão beneficiar não apenas a sua conta, mas também a natureza que agradece a economia de luz. Ou seja, as formas são as mais diversas, mas exigem novas atitudes e controle recorrente. 

Tenha objetivos

Se você leu até aqui é possível que esteja se perguntando “como conquistar algo se precisa economizar tanto?”

Às vezes parece difícil visualizar, mas a partir do momento que você organizar suas finanças, sua vida como um todo vai fluir melhor e você vai alcançar metas que, anteriormente, eram consideradas impossíveis. 

Para isso, antes mesmo de começar a cortar ou remanejar as despesas e a construir seu planejamento financeiro, estabeleça objetivos. São eles que vão te estimular a seguir no rumo certo mesmo quando tudo parecer complexo demais.

Se você tem dívidas, nem pense duas vezes. Seu primeiro objetivo é quitar essas pendências. Depois, liste aquelas metas e sonhos que você almeja. Assim você saberá com precisão onde quer chegar e sabe como fazer. Controle-se, organize-se, se sacrifique hoje sabendo que é por algo maior. Você vai alcançar, basta ter planejamento e foco.

Compras por impulso

Este é um dos principais vilões do controle financeiro. A internet, a facilidade de pagamento, a oferta infindável de produtos na palma da mão e acessíveis a um clique, além da deliciosa sensação de comprar algo, estão tornando a compra por impulso ainda mais frequente. Mas quem deseja ter planejamento financeiro deve fugir dessa armadilha. 

Assim, de compra a compra, muitas sem necessidade, o consumidor vai gastando e muitas vezes passa dos limites, deixando de lado dívidas que deveriam ser prioridade. Por isso, mesmo que pareça a melhor aquisição com o melhor custo-benefício, evite a compra por impulso. Foque sua atenção e seu dinheiro nas despesas necessárias e sempre que possível em economizar para construir uma reserva.

Reserva de emergência

Sempre que possível guarde um dinheiro, faça uma poupança. Esse extra é fundamental para estar seguro em imprevistos que sempre podem ocorrer e te pegar despreparado. Assim, se algo ocorrer você pode retirar deste fundo e não precisa se desesperar, pedindo empréstimos, por exemplo, ou se endividando.

Tente reservar um pouco todos os meses, não apenas para situações de emergência, mas também para a realização de sonhos como a compra de imóvel, de veículo ou para fazer aquela tão esperada viagem.

Saia do aperto e viva em paz

Aquele famoso jeitinho não é eficaz quando o assunto é vida financeira. Você pode ir empurrando, adiando, mas as dívidas continuarão a bater na sua porta, cobrando soluções e pagamento. Evite que o seu nome fique sujo. Busque sair do vermelho. 

Crie um novo comportamento financeiro. Seja responsável e organizado. Opte por novos hábitos. Economize. Remaneje. Poupe. Controle. Analise. Acompanhe. Livre-se das dívidas. São pequenos e diários costumes que farão toda a diferença na sua vida como um todo. Não esqueça, dinheiro tem que ser seu aliado e não seu inimigo. Controle suas finanças e tenha uma vida bem mais tranquila, confortável e bem-sucedida.