Crise energética: o seu condomínio está preparado?

Uma das principais consequências da crise hídrica, além da estiagem que afeta a agricultura, é a crise energética. 

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) criou, ainda no ano passado, a bandeira de escassez hídrica, que está sendo incluída no cálculo de gasto na conta de luz. 

Isso significa que será cobrada uma taxa extra de R$ 14,20 a cada 100 kWh consumido. A medida ficará em vigor até abril. 

Com a crise hídrica, o risco de apagão é iminente. Além disso, é necessário usar a energia de forma consciente, especialmente em espaços comuns como condomínios, já que a conta estará cerca de 50% mais cara.

Por que é importante contar com uma fonte de energia auxiliar 

Os especialistas atentam para o fato de que condomínios devem contar com uma fonte própria de energia e não depender exclusivamente do poder público para o seu fornecimento. 

O seu condomínio conta com uma fonte auxiliar de energia? Se não conta, é importante começar a pensar em uma. Um gerador é uma boa solução, já que pode fornecer energia de forma auxiliar por no mínimo seis horas, em caso de queda de luz. 

Também é importante comunicar a equipe de funcionários do condomínio, como porteiro, seguranças e profissionais de limpeza, sobre o risco de falta de luz, para que possam agir se necessário.

Se falta luz e os portões não ficam trancados, por exemplo, trata-se de um problema para a segurança para todos.

O que o síndico do condomínio pode fazer para prevenir uma crise durante um apagão?

A seguir, confira algumas atitudes que o síndico pode tomar para evitar as consequências de um apagão.

– O síndico deve priorizar o uso de geradores e nobreak para manter o funcionamento de elevadores, portões, portaria remota ou virtual, se houver, e sistemas de segurança em geral;

Você sabe como funciona o sistema de portaria virtual? Confere o conteúdo que publicamos recentemente no blog: Tudo o que você precisa saber sobre portaria virtual em condomínios

– O gerador de energia deve atender somente aparelhos essenciais como geladeira, equipamentos de saúde, se houver, telefones, etc. Isso deve estar documentado e visível para profissionais que atuam no condomínio e moradores;

– Os geradores devem ser abastecidos constantemente com combustível. O mais usado é o óleo diesel;

– O síndico deve criar um plano de contingência explicando como os profissionais que trabalham no condomínio devem agir no caso de um apagão;

– Alguns equipamentos podem queimar em uma situação de apagão, como bomba d’água, motor do elevador e o motor de portões. Nesse caso é interessante contar com o apoio de outras empresas, para um atendimento emergencial;

– Com a possibilidade de queima da bomba d’água, que “puxa” a água do sistema de água da rua, há o risco do desabastecimento de água. Nesse caso, calcule a média de consumo diário no seu condomínio para contratar um caminhão pipa, se necessário.

Um gerador de energia custa em torno de R$ 80 mil. A sua aquisição deve ser aprovada em assembleia, além de a instalação atender às determinações do Corpo de Bombeiros.

Já o nobreak é um equipamento movido à bateria, que protege aparelhos eletrônicos em caso de queda ou variação de eletricidade. Ele também funciona como fonte de energia por algumas horas. 

Nos condomínios ele é usado para o interfone, computadores, sistemas de segurança e para o circuito de câmeras.

Hoje em dia há nobreaks também para portões, elevadores e portarias remotas.

Uma opção para não depender do fornecimento de energia elétrica da rede pública são as placas de energia solar. O investimento não é baixo, mas hoje em dia alguns bancos oferecem linhas de crédito para financiar a instalação.

Com a energia solar, a economia na conta de luz pode chegar a 50% nas áreas comuns de um condomínio. Esse tipo de obra também deve ser aprovada em assembleia. 

Como administrar o uso de geradores?

Se você administra um condomínio que conta com um gerador, há alguns pontos para ficar atento, para ter certeza de que ele funcionará bem em uma situação de apagão:

– Síndico e funcionários têm o contato de emergência da empresa que faz a manutenção dos geradores?

– A partida do motor do gerador é feita mensalmente?

– Nessa manutenção mensal, os equipamentos essenciais como elevadores, portões, sistemas de segurança, etc, devem estar ligados;

– É conhecido o tempo máximo de duração com o tanque cheio?

– Há um plano de reabastecimento de combustível para apagões prolongados?

– Quem opera o gerador sabe fazer a manobra da chave de transferência automática, caso haja falha no equipamento?

É importante que o condomínio não armazene combustível fora do tanque, já que existe risco trabalhista por periculosidade para os funcionários.

Se for necessário usar o gerador por um tempo mais prolongado, a despesa é caracterizada como emergencial e pode ser subsidiada pelo Fundo de Reserva, caso não haja saldo na Conta Ordinária. Após, deve ser feita uma divisão da despesa em assembleia para repor o recurso no Fundo. 

Dicas para economizar energia

Confira a seguir algumas dicas de como economizar energia no seu condomínio!

– Equipamentos mais velhos consomem mais energia. Considere modernizar os equipamentos, isso pode reduzir o consumo em até 1/3;

– Implemente sistemas inteligentes para chamar os elevadores;

– Considere adequar o fluxo de paralisação do elevador, para que ele fique no último andar como padrão, sem voltar sempre para o térreo;

Reduza a iluminação sempre que possível, seja na garagem ou subsolos (espaços com menos circulação de pessoas) ou nos jardins;

– Nos cômodos onde há o sistema de exaustão forçada, como banheiros sem janela, desligue esse recurso em alguns períodos do dia;

– Engaje equipes e moradores para que participem das ações do condomínio.

Quer saber mais sobre como funciona as regras de um condomínio? Então confere o conteúdo Regras de convivência em condomínios: tudo que você precisa saber

E agora, confira dicas de redução de energia para os moradores!

– Não chame mais de um elevador ao mesmo tempo;

– Prefira lâmpadas LED, que proporcionam uma economia de até 80%;

– Aproveite a luz natural ao máximo;

– Regule a temperatura de geladeiras e freezers;

– Evite deixar aparelhos como TV, computador e microondas no stand by (está consumindo energia da mesma forma);

E saiba que o consumidor que poupar entre 10% e 20% no consumo terá um desconto de R$ 0,50 por kWh nas próximas faturas, o que também ajuda na economia. Trata-se do Programa de Incentivo à Redução Voluntária da Aneel.

Gostou das nossas dicas de como otimizar o uso de energia elétrica no seu condomínio e evitar os riscos de um apagão? Quais delas o seu condomínio já coloca em prática?

E se você procura por um apartamento em um bom condomínio, com infraestrutura, conte com a Terraz Aluguel Digital

A primeira imobiliária digital de Florianópolis, agora presente também em São Paulo. Conte conosco para alugar de forma rápida, fácil e sem burocracia.