A locação de imóveis é considerado um investimento sem grandes riscos. Na verdade, um dos principais e talvez maiores problemas que o proprietário pode enfrentar é a recusa do inquilino em pagar o aluguel. Porém, até mesmo para isso há solução. 

A lei está do lado do dono do imóvel. Há garantias para que mesmo sem o cumprimento das obrigações o locador não saia no prejuízo. Quando o imóvel é administrado por uma imobiliária, há ainda mais recursos que podem ser acionados para assegurar que o dinheiro do aluguel caia na sua conta.

Como sabemos que passar por uma situação em que o inquilino não paga o aluguel não é nada agradável, vamos apresentar algumas alternativas. Assim você consiga receber o pagamento com o menor incômodo possível.

Quando o inquilino não paga aluguel

Converse com o inquilino

Ao menor sinal de atraso do pagamento busque o diálogo. Entre em contato com o seu inquilino e tente entender os motivos que levaram ao não cumprimento do acordo. Compreenda que situações adversas podem acontecer e levar à inadimplência do aluguel até mesmo o mais correto e organizado dos locatários.

Se possível, ofereça um acordo que seja benéfica para os dois lados. O parcelamento do valor pode ser uma alternativa interessante, tanto para não pesar no bolso do inquilino, que já está em apuros, como para você ter a segurança de que não vai ficar sem receber nada.

Se a locação ocorre com a intermediação de uma imobiliária, possivelmente essa negociação e diálogo serão feitas pela empresa e não por você. Por isso, a importância em confiar seu imóvel a quem é especializado, pois se o inquilino não paga aluguel, você não precisa se estressar e deixa o problema sob os cuidados da administradora contratada.

Faça um contrato

Uma boa dica é formalize todos os aspectos da locação por meio de um contrato. Esse documento é fundamental para garantir que seus direitos sejam cumpridos.

Além de dar segurança ao proprietário, o contrato será peça fundamental nos casos extremos em que a situação vai parar na justiça. Apesar dos direitos e deveres estabelecidos pela legislação, todo o acordo firmado entre as partes envolvidas está registrado neste documento e certamente servirá de base para qualquer decisão judicial.

Lembre-se ainda que o contrato prevê outras garantias que fazem toda a diferença caso o inquilino não paga o aluguel.

Garantias

Nunca entregue as chaves do seu imóvel sem ter definido e formalizado em contrato uma  modalidade de garantia. Elas são o que assegura que mesmo com imprevistos financeiros do inquilino você não vai amargar prejuízos. 

A própria Lei do Inquilinato, nº 8.245/1991, no artigo 37 recomenda a definição de alguma  garantia como fiador, seguro-fiança, depósito caução, título de capitalização, análise de crédito, alternativa mais utilizada, por exemplo, na Terraz Aluguel Digital, especializada em aluguel na Grande Florianópolis. 

A norma determina no artigo 39 que “salvo disposição contratual em contrário, qualquer das garantias da locação se estende até a efetiva devolução do imóvel, ainda que prorrogada a locação por prazo indeterminado”. 

E acrescenta que se a locação não estiver garantida por nenhuma modalidade, o locador pode exigir do inquilino o pagamento do aluguel e encargos até o sexto dia útil do mês que está por vencer. Para você não enfrentar uma situação em que o inquilino não paga o aluguel, conte com uma garantia. 

Quer saber qual das modalidades é mais interessante para você? Conheça agora com mais detalhes cada uma delas.

Fiador

Uma das garantias mais comuns e tradicionais é o fiador, em que uma pessoa assegura o pagamento da dívida quando o inquilino não paga o aluguel.

 Seguro-fiança

É similar a outros tipos de seguro que existem no mercado. No entanto, nessa modalidade o inquilino contrata o serviço, mas o beneficiado é o proprietário do imóvel. Em caso de inadimplência, o locador recebe de forma rápida o pagamento, o que vem tornando esta uma das principais opções do segmento imobiliário. 

Depósito-caução

Nessa garantia o locatário deve depositar na conta-corrente ou na poupança do locador uma quantia, em geral o equivalente a três vezes o valor do aluguel. Esta modalidade é interessante para os proprietários dos imóveis porque além de assegurar que todo o pagamento será quitado, ainda é possível utilizar o recurso para o reparo de danos ou irregularidades constatadas na entrega do imóvel.

Título de Capitalização

Funciona como um fundo de investimento em que valores são depositados periodicamente e serão destinados ao proprietário em caso de descumprimento do contrato. Essa modalidade é semelhante ao caução, mas nesse caso o processo é feito por seguradora ou instituição financeira. Caso haja inadimplência ou danos ao imóvel, o locador pode requisitar o resgate do valor. 

Análise de Crédito

Conhecida também como análise de CPF, neste método a imobiliária verifica se o CPF está regular ou não e se existem dívidas no nome do interessado. Um dos grandes diferenciais da análise de crédito é a agilidade. Em segundos, por meio de plataformas específicas, a verificação sobre o inquilino é realizada, de forma totalmente online e o resultado sai automaticamente, indicando a aprovação ou não para alugar imóveis. 

Se o interessado estiver com nome limpo já é uma boa indicação de que vale a pena fechar o negócio. Do contrário, você já consegue imaginar que, se alugar, poderá ter problemas no futuro. 

Se você quer alugar imóvel e não ter nenhuma preocupação, acesse o nosso site e garanta que seu investimento valeu a pena.